Jornalista por "empurrão"

Cursar jornalismo nunca havia passado pela minha cabeça. Dentre minhas várias tendências, deixei a paixão pela escrita para segundo plano. O curso foi apenas uma opção longínqua, dentre as poucas que eu tinha: não me agradava a rotina enfadonha das redações. Por mais que eu gostasse de escrever, aquilo não passava de um passatempo, tendo em vista meu objetivo maior; uma Faculdade de Audiovisual.

Hoje, como aspirante a jornalista, mudei bastante alguns conceitos pré-estabelecidos que achava condizentes com a profissão. Depois de certo contato passei a enxergar a abrangência que o termo “jornalismo” oferece, e me contagio com as futuras possibilidades. O contato direto com novas culturas, assim como aprendizado constante e os diversos meios de atuação, são algumas das características que me deixam feliz pela escolha.

Um comentário:

Andréa disse...

Ilana, ficou interessante o texto. sincero, legal. VEja a correção do ponto e virgular antes da palavra "uma faculdade de audiovisual" prefira colocar dois pontos.